Santa Cruz subiu, mas disparidade em relação aos rivais aumentou


No início deste ano, apontar o Santa Cruz como favorito ao título pernambucano era quase uma utopia. Alojado na 4ª divisão nacional pelo terceiro ano seguido, o clube via os rivais investindo bastante para o Pernambucano, numa disputa polarizada pelo hexa. Como se sabe, a Cobra Coral evoluiu de coadjuvante a protagonista, com um time barato. Faturou o título. Para 2012, defendendo a sua faixa de campeão, o Tricolor deve começar da mesma forma. Quer dizer, começa com uma disparidade financeira ainda maior, pelo pior prisma. Mesmo com o ano positivo, principalmente pela saída da Série D, o clube viu os rivais alcançarem a Série A. Enquanto o Sport e Náutico deverão contar as maiores receitas de suas respectivas histórias, o Santa terá um acréscimo de apenas 10% em relação ao dinheiro arrecadado nesta temporada, limitando o gasto com a folha a R$ 300 mil no Estadual.

A expectativa pessimista de crescimento, revelada pelo próprio presidente Antônio Luiz Neto, é muito baixa ainda mais quando se leva em consideração que o clube teve uma bilheteria acumulada acima dos R$ 8 milhões nos 22 jogos no Arruda. Apesar da força do povo na arquibancada do Arruda - e no quadro de sócios -, a falta de jogos atrapalha. O grande problema é o calendário apertado, uma vez que o máximo de partidas na Série C, caso o time chegue à final, é de 16 jogos, mesma quantidade de jogos da Série D deste ano. Ou seja, são 22 jogos a menos que as Séries A e B. Menos jogos, menos renda, e bem menos exposição na TV. “A situação financeira segue difícil”, disse o mandatário.

Em 2011, o faturamento do clube deverá bater na casa dos R$ 13 milhões após o acerto das contas em dezembro. Apesar de seguir no porão do futebol nacional, existem, sim, algunas bonificações. O contrato de patrocínio com o Cimento Poty recebeu um aumento de 20%, passando de R$ 120 mil, passando para R$ 144 mil. Outras marcas devem seguir o caminho. Equalizando os gastos, o Santa conseguiu comprar um terreno em Aldeia para a construção do seu CT, cujo desenvolvimento pode ocorrer em parceria com a Traffic Sports. Parte do dinheiro para o terreno veio da venda do atacante Gilberto ao Internacional, por R$ 2 milhões. No entanto, o clube gaúcho ainda deve R$ 850 mil.

FONTE: SUPER ESPORTES PERNAMBUCO

Santa Cruz News

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.