Duas visões sobre o clássico

Perder pro Sport nunca é fácil e mais em casa por 3 a 1 é que fica complicado de digerir. Tirei duas visões sobre este jogo: uma como torcedor e outra como colunista. As duas bem diferentes, diga-se de passagem.

Como torcedor, estou extremamente irritado por perder para o nosso maior rival, em casa, e olha que eles não venceram porque jogaram tão bem e sim porque o Santa Cruz jogou mal. Não conseguimos criar nada, Carlinhos Bala, figurante em campo, deixou o Luciano Henrique sozinho na armação das jogadas, aí fica difícil.

Na zaga, mais uma vez tomamos gol de cabeça, Leandro Souza e André Oliveira, estão muito piores que Leandro Souza de 2011 e Thiago Matias. Este é o setor em que mais perdemos em qualidade de um ano pro outro.

No intervalo, Zé Teodoro teve a chance de corrigir o time para buscar o empate, aí ele me tira o Caça-Rato, beleza tava sumido no jogo, mas pra colocar o Sandro Manoel, volante de marcação, era melhor continuar com Caça-Rato, já que o time precisava ir pra cima. E também tirou o Carlinhos Bala, que não jogou nada, pra colocar o Jefferson Maranhão, por que não o Renatinho hein, Zé, é intriga é?

Logo depois ele tira o Luciano Henrique, único meia do Santa, pra colocar um atacante: o Geílson, que ainda não havia estreado e que vinha de lesão, como se ele fosse resolver. Mais um erro na conta do Zé.

Deu no que deu, vitória merecida do Sport, 3 a 1. O duro vai ser passar o carnaval aguentando a gréia dos rubro-negros.

Como colunista, vejo o resultado de hoje como um placar normal. Perdemos quando tínhamos que perder, nada que vá influenciar muito no futuro do Santa na temporada.

Sem os meias titulares: Wesley e Natan e sem o goleiro titular: Thiago Cardoso, contra um time que disputa a série A e que tem bem mais recursos financeiros que nós, a derrota não foi nada de outro mundo.

O meio sentiu a falta do Wesley e do Natan, o diferencial do clássico foi a falta de criação do Santa, que tinha até a posse de bola, mas não criava chances claras de gol.

Éverton Sena e Memo pra mim os melhores em campo pelo Santa. Os dois pratas-da-casa merecem ser titulares do time, com Memo na cabeça de área e Éverton Sena jogando como zagueiro ou eventualmente marcando individualmente alguém, como fez muito bem hoje.

Ainda estamos no primeiro turno, faltam 12 rodadas para chegar às semifinais. Daqui pra lá o Geílson deve se condicionar fisicamente e finalmente formar a dupla de ataque com o Dênis Marques. Temos tempo pra isso. Aí sim teremos o Santa Cruz versão 2012.

Vamos nos encontrar com o Sport de novo, no futuro, e acredito que da próxima vez a história vai ser outra, temos elenco pra isso, com todo mundo bem fisicamente, Zé Teodoro vai diminuir muito sua possibilidade de erro. Resta paciência e saber que perdemos a batalha, mas a guerra ainda tá longe de terminar.

Arthur Holanda

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.