Diretor de segurança do Santa justifica: agressões "Toda ação corresponde a uma reação"


O diretor de segurança do Santa Cruz, o major Flávio Bione, justificou as razões que levaram os seguranças do clube a saírem no tapa com o grupo de torcedores que protestavam contra o mau momento do clube, na tarde desta sexta-feira, no Arruda. De acordo com o major "Para toda ação há uma reação".

"Nós, desde o início não coibimos o protesto, conversamos e pedimos que em um determinado momento eles deixassem o grupo trabalhar. O Santa Cruz respeita o seu torcedor, pode fazer protesto. Só que tem que ser pacífico, educado, e não com pornofonia, com frases agressivas", explicou.

Flávio Bione falou ainda que poderia ter coibido até mesmo a entrada dos torcedores, que eram sócios, mas deixou que todos entrassem no clube. "Pedimos somente educação, mas veio pornofonia e eles começaram a atrapalhar o trabalho. Não acho que os seguranças foram displicentes. A segurança pediu que parassem", afirmou. 

Em relação a retirada da faixa à força de um dos torcedores, Bione complementou: "A retirada da faixa foi consequência. Fica difícil nesse momento você justificar e provar algo. Fica a palavra de um contra o outro. Toda ação corresponde a uma reação. Nós apenas nos defendemos", pontuou. 



Do Superesportes

 

Santa Cruz News

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.