Santa vai completar um ano sem fazer gol de falta

O dia 30 de abril, próxima segunda-feira, foi a data escolhida pela Federação Pernambucana de Futebol (FPF) para acontecer o segundo jogo da semifinal entre Santa Cruz e Salgueiro. Mas, fugindo um pouco de todo o clima decisivo que gira em torno desta partida, você seria capaz de responder qual foi a última vez que o Santa fez um gol de falta? Uma cobrança sem interferência, sem cruzamento na área para um cabeceio, ou seja, uma cobrança direta? A resposta está na primeira linha deste texto. Foi no dia 30 de abril de 2011 que a Cobra Coral conseguiu pela última vez realizar tal proeza.

O gol naquela oportunidade foi marcado pelo meia Weslley, em partida válida também por uma semifinal do Campeonato Pernambucano, também contra um time do interior. Naquela ocasião, a “vítima” foi o Porto. O goleiro Mondragon foi o último que levou um gol de falta tricolor, o primeiro daquela vitória por 3×1.

De lá pra cá já se passou todo o Campeonato Brasileiro da Série D e toda a primeira fase (também o primeiro jogo da semifinal) do Campeonato Pernambucano. E nenhum gol de falta. Mesmo o Santa Cruz contando com alguns jogadores que conseguem ter um bom aproveitamento nas bolas paradas nos treinamentos, como os meias Luciano Henrique e Renatinho, além do próprio Weslley. Já nos jogos, a coisa vem sendo bem diferente…

Quando entrar em campo contra o Salgueiro pela segunda semifinal, o Santa vai estar soprando a velinha de um ano. Um ano sem gol de falta. Mas, quem sabe o tabu não é quebrado bem na “data comemorativa”? Um gol de bola parada pode decidir o jogo a favor do time coral.

E novamente contra um time do interior em uma semifinal do Estadual.

Abaixo, relembre o último gol de falta do Santa Cruz.





De: DANIEL GOMES/FOLHA PE - Blog de Primeira



Santa Cruz News

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.