Festa da torcida coral. Santinha na final!



Santa Cruz 3x1 Salgueiro. Deu a lógica, final do Pernambucano vai ser entre os 2 maiores times do estado. Santa Cruz x Sport farão a final pelo 2° ano consecutivo e espero que como no ano passado o tricolor possa sair campeão. Não foi fácil ganhar hoje, mas quem tem Dênis Marques sabe que uma hora ou outra o gol vai sair, foram 2 dele e 1 do Natan, finalmente escalado como titular.

Zé Teodoro deixou seu lado retranqueiro um pouco de lado e escalou o time no 4-4-2 com 2 meias. Sem poder contar com Leandro Souza e Memo, machucados, o time titular foi: Thiago Cardoso; Diogo, Vagner, William Alves e Renatinho; Anderson Pedra, Chicão, Natan e Luciano Henrique; Dênis Marques e Flávio Caça-Rato.

Formação um tanto quanto perigosa já que Renatinho não marca tão bem, sua posição ideal é no 3-5-2 como ala já que tem menos obrigação de marcar. Além disso, a principal arma do Salgueiro era pela lateral direita com o Marcos Tamandaré, ou seja, em cima do Renatinho. Um risco que se tinha que correr, jogando no arruda temos que ir para cima mesmo, como dizia o Evaristo de Macedo “se tomar  1 gol, vamos fazer 2”.

O jogo começou bem nervoso, o Salgueiro abusava de fazer faltas e consequentemente o Santa Cruz não conseguia trocar muitos passes. A torcida estava impaciente com a passividade do árbitro que não dava cartão amarelo para o time adversário. Natan era o que mais buscava jogo, caía de um lado, caía do outro sempre em busca de jogadas ofensivas, mas muitas vezes era parado com falta, faltas essas que o Santa não aproveitava.

Aos 33 minutos o time do Santa já mais calmo em campo conseguiu trocar passes e a dupla de meias, tão pedida pela torcida, fez o estádio vir abaixo. Luciano Henrique lançou para Natan que fuzilou o goleiro adversário, para alegria de mais de 36 mil torcedores: Santa Cruz 1x0 Salgueiro.

A alegria durou pouco, mais precisamente 2 minutos, foi necessário para fazer o torcedor coral emudecer. Marcos Tamandaré em mais uma investida pela direita cruzou para Fabrício Ceará chutar para grande defesa do Thiago Cardoso, só que no rebote lá estava Elvis ex-Santa para marcar o gol de empate: Santa Cruz 1x1 Salgueiro, placar final do primeiro tempo.

Veio o segundo tempo e bastou 1 minuto para que 2 jogadores criticados pela torcida contribuíssem para o segundo gol coral. Chicão que vinha fazendo um bom jogo acertou um passe primoroso para o Flávio Caça-Rato que foi derrubado dentro da área, e lá é pênalti. Dênis Marques foi para cobrança e mais uma vez o arruda se tomou em festa: Santa Cruz 2x1 Salgueiro.

Aos 5 minutos, ficou provado que não tem Messi, Cristiano Ronaldo ou Neymar; em matéria de cavar faltas, Flávio Caça-Rato é o melhor do mundo. Em outra falta sofrida por ele, o volante do Salgueiro, Josa, tomou o segundo amarelo e foi expulso. A vaga para final estava cada vez mais próxima. Era hora de o Santa controlar o jogo e segurar o placar que lhe dava a vaga na final.

Como o seguro morreu de velho, Zé Teodoro colocou os volantes Sandro Manoel e Léo e o zagueiro André Oliveira na equipe. Saíram Anderson Pedra, Flávio Caça-Rato e Chicão. O Salgueiro foi pra cima em busca do empate de maneira desordenada, o Santa por sua vez se aproveitava dos contra-ataques. Aos 25 minutos, Clebson perdeu uma grande oportunidade de empatar o jogo, para nossa sorte o chute saiu mal e foi para fora.

Nos minutos finais, o desespero do Salgueiro era grande, foram com tudo pra cima e no contra-ataque Dênis Marques guardou mais um gol. Uma arrancada da intermediária, drible no primeiro, drible no segundo e chute na saída do goleiro, gol de craque, gol do artilheiro do campeonato: Santa Cruz 3x1 Salgueiro, resultado final.

Agora são 2 jogos contra o Sport, primeiro no arruda, segundo na ilha do retiro. Apesar de termos perdidos os 2 jogos na primeira fase, temos mais time que eles e o bicampeonato está próximo. Zé, não tira Natan do time, somos superiores tecnicamente e temos que fazer por onde na escalação. Faltam 180 minutos para o título de bicampeão pernambucano.

Arthur Holanda

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.