Treino de ontem do Santa Cruz teve a presença de Antônio Luiz Neto


(RICARDO FERNANDES/DP/D.A PRESS)Não é comum ver o presidente do Santa Cruz presente em um treino. A última lembrança é de há mais de um mês, após os rumores da demissão de Zé Teodoro. A recordação anterior data de mais de três meses, quando ele convidou a torcida a lotar o Arruda para a “batalha” contra o Treze, o então vilão dos times da Série C. Mas ontem à tarde Antônio Luiz Neto voltou a dar as caras. Conversou com Athaíde, Sandro, Zé. Assistiu ao coletivo, com vitória dos titulares por 2 a 0 - gols de Leozinho e Dênis Marques. Às vésperas de um dos jogos mais decisivos da temporada, onde a equipe coral pode ser eliminada precocemente da competição, o gestor decidiu transmitir confiança.

O presidente quer minimizar o clima de pressão. “O momento é de confiança e tranquilidade. Formamos o elenco com dificuldade, ocorreram resultados que não esperávamos. Mas vamos dar a volta por cima. No sábado, todos vão estar aqui no Arruda batendo palmas”, previu. Segundo Antônio Luiz Neto, não vai haver premiação extra em caso de vitória sobre o Luverdense. “A gratificação já foi fixada anteriormente. Os jogadores sabem do compromisso”.

Antônio Luiz Neto também falou sobre a situação financeira do clube. “Estamos com 35, 40 dias de atraso salarial. Dependemos da renda dos jogos, dos patrocinadores e de alguns grandes tricolores, especialmente os do Conselho Deliberativo. Mas vale frisar que, quando assumimos o clube, eram oito meses de salário atrasado”, revelou o presidente, antes de trazer à tona algumas dificuldades.

“O clube tem uma dívida enorme. Em todos os jogos, tem uma quantidade grande de oficiais de justiça. De uma renda de R$ 320 mil, sabe quanto sobra de líquido? Cerca de R$ 80 mil”, calculou. O presidente ainda revelou que o Santa Cruz realizou um acordo com a Justiça do Trabalho para facilitar a quitação do débito. “Vai ser uma dívida gradativa, sem os juros e as correções monetárias mensais, que estavam elevando bastante o valor total.”

Perguntado sobre o pleito da presidência executiva do clube, ALN evitou falar sobre sucessão, apesar de ter o nome bastante cogitado para a reeleição. “O nome do futuro presidente é o menos importante. O principal é que 99% dos tricolores estão unidos. Todos os dias, nos gabinetes aqui do clube, há mesas redondas, participação ativa de várias pessoas”, respondeu. Por fim, quando abordado sobre um eventual “plano B” do Santa Cruz em caso de eliminação precoce, o mandatário despistou: “Tchau, viu? Agora, a gente só vai ganhar”, encerrou com muita confiança.

Santa Cruz News

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.