Santa Cruz perde invencibilidade


Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Uma hora, a derrota viria. O Santa Cruz não vinha apresentando um futebol convincente. E neste domingo, diante do Salgueiro, não foi diferente. Desta vez, não teve gol salvador ou Dênis Marques decidindo. O Carcará venceu por 1 a 0 com justiça, colocando fim à invencibilidade da equipe coral, que também perde a liderança do Campeonato Pernambucano. Fecha a rodada na quarta posição, com seis pontos.

O Santa Cruz iniciou o jogo com uma postura correta. Sabendo do estilo do Salgueiro, que sempre joga bem fechado, o Tricolor tentou tocar a bola e assim ia chegando o ataque. O problema é que isso mudou passados 15 minutos de partida. A equipe coral passou a errar demais os passes, não conseguindo chegar ao ataque.

A principal dificuldade do Santa Cruz era a transição de bola. Luciano Sorriso, Éverton Heleno e Natan não conseguiam armar as jogadas. Com isso, os atacantes ficavam isolados na frente. Para evitar isso, Dênis Marques e Flávio Caça-Rato passaram a vir até o meio para buscar a bola, fazendo o papel dos meias. Sem a característica de criatividade, porém, não conseguiam levar as jogadas à frente.

O Salgueiro cumpria bem o seu papel de visitante. Jogava bem postado na defesa e ainda aproveitava dos erros do Santa Cruz para roubar a bola e partir no contra-ataque. Da metade para o final do primeiro tempo, o Carcará foi superior ao Tricolor, até criando mais oportunidades de abrir o placar, sempre com o trio Élvis, Clébson e Fabrício Ceará.

O segundo tempo começou com as equipes um pouco mais abertas. O Santa Cruz, porém, com a mesma dificuldade na criação das jogadas. O Salgueiro não sofria com isso. Jogando solto, Élvis levou perigo no primeiro lance da etapa, logo aos 2 minutos. E foi numa jogada com ele que o Carcará abriu o marcador. Aos 9, ele deu um lindo toque de letra para Peri, que entrou livre na área. De frente com Tiago Cardoso, ele tocou de lado para Fabrício Ceará tocar para o gol.

O gol do Salgueiro desencadeou a insatisfação da torcida do Santa Cruz. O técnico Marcelo Martelotte ouviu gritos de “burro” das arquibancadas. Atrás do placar, enfim, o treinador mudou a equipe. Tirou Éverton Heleno, improdutivo, para colocar Jefferson Maranhão. Já estava claro desde o primeiro tempo que o problema do Tricolor estava na criação. A entrada do meia foi para corrigir isso.

A mudança surtiu efeito e o Santa Cruz passou a chegar mais ao ataque. Dênis Marques voltou a se posicionar como deveria, na área, e assim levou perigo ao Salgueiro. Mas desta vez não resolveu. O Carcará se fechou mais ainda e se defendeu como pôde. Martelotte tentou colocar o time ainda mais para frente, mas a pressão não foi suficiente e o gol não veio.

Ficha do jogo

Santa Cruz
Tiago Cardoso; Marquinho (Éverton Sena), César, Vágner e Tiago Costa; Anderson Pedra, Luciano Sorriso, Éverton Heleno (Jefferson Maranhão) e Natan; Dênis Marques e Flávio Caça-Rato (Philco). Técnico: Marcelo Martelotte

Salgueiro
Luciano; Sidny, Ricardo Braz, Cléber Carioca e Peri (Marcos Tamandaré); Pio, Matheus, Victor Caicó (Moreilândia) e Clébson; Fabrício Ceará e Élvis (Canga). Tecnico: Marcelo Chamusca

Estádio: Arruda. Árbitro: Gleydson Leite. Assistentes: Wilton Lins e Marlon Rafael. Gol: Fabrício Ceará. Cartões amarelos: Élvis, Ricardo Braz e Fabrício Ceará. Público: 17.256. Renda: R$ 149.136,00.

Santa Cruz News

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.