Santa joga melhor mas cede o empate e termina em terceiro



Pois é, a algum tempo o Santa vem levando a melhor nos clássicos. Hoje, o Sport se dizia favorito e acabou que o resultado foi neutro, um empate em 2x2 com direito a golaços de Raul e Dênis Marques e penalidade máxima aos 47 minutos do segundo tempo para o time leonino, quando conseguiu o empate.

TIME: Jogando no 4-5-1, sem Natan e Renatinho, mas mesmo assim o time deu conta do recado e jogou melhor do que o time do Sport.

JOGO: Em um jogo que realmente valeu o ingresso, com um estádio lotado, 33.073 pessoas pagantes, o primeiro tempo começou corrido, com muitas chances para o time tricolor. 

O time leonino recuado, apenas jogando no contra-ataque, começou a tocar mais a bola. Baseando-se neste cenário, o Santa Cruz passou algum sufoco e ficou próximo de tomar um gol. 

Quando pensávamos que a primeira etapa se encerraria com um empate, a Cobra Coral surpreendeu à todos. Em excelente jogada iniciada por Dênis Marques, após toque de Caça Rato, Raul, de fora da área, abre o placar para o Santa Cruz. 

SEGUNDO TEMPO: O jogo que já estava animado, ficou ainda mais corrido. Os dois times tentando partir para cima, e resolver logo a partida. Mas quem começou na frente foi o Sport, com um gol logo aos 6 minutos do segundo tempo. Roger. O que foi realmente uma queda para o time e torcida tricolor. Jogando, assim, uma ducha de água fria nas pretensões do técnico Marcelo Martelotte.

Nada que abalasse a confiança do jogar número 50, que deixou sua própria homenagem com um golaço, animando novamente seu time e torcida. Um golaço, por sinal. Tento que classificaria o time em primeiro colocado e enfrentando o Ypiranga. 

Mas,  aos 47 minutos do segundo tempo, penalidade máxima para o Sport. Com uma boa cobrança, Marcos Aurélio empata o jogo e faz com que o Santa enfrente no domingo (21) o Náutico no primeiro jogo das semi-finais no Arruda.

OPINIÃO: Não é à toa que esse é o Clássico das Multidões. Todos sabiam o que podia acontecer. Então é trabalhar para o domingo e enfrentar o Náutico no Clássico das Emoções.

José Peixoto Neto

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.