15/10/1995 - Santa 2x0 Remo, com show de Zé do Carmo



Imagem: Arquivo Coral.
Após uma partida deveras turbulenta no Pará - no dia 7 de outubro de 1995 – a cobra coral recebia o leão azul, desta vez em seu habitat natural. A comissão técnica e os jogadores do Santa haviam sido agredidos fisicamente, na chegada ao Estádio Baenão, em Belém do Pará. A imprensa esportiva Pernambucana, também, alegou falta de segurança. Além disso, a renda do jogo, que deveria ser dividida entre o mandante e o visitante, foi sonegada pelo Remo, que divulgou menos da metade do público real. Em campo, os Paraenses venceram por 2 a 1.

No jogo da volta, a vida do Remo não seria nem um pouco tranquila, devido às circunstâncias acima citadas, ocorridas no primeiro jogo. A imensa torcida coral fez plantão onde a agremiação do Remo ficou hospedada, na Avenida Boa Viagem, e não deu trégua aos jogadores e comissão técnica. No jogo, com um caráter de guerra e cheio de catimbas, o Santinha conseguiu ser maior do que a cara de pau dos adversários e venceu por 2 a 0, no Arruda. Quinho e Zé do Carmo marcaram os gols, ainda no primeiro tempo. 

Já na primeira etapa, Zé de Carmo acabou com o jogo. Primeiro aos 24, quando o craque achou Quinho na cara do gol, o lateral tocou na saída de Róbson para abrir o placar. Depois, a minutos do fim do primeiro tempo, Zé do Carmo tabelou com Zé Eduardo e tocou por cobertura para marcar um dos gols mais belos da história do José do Rêgo Maciel. Vale lembrar que o craque marcou apenas 8 vezes em 89 jogos, o que faz do gol, importantíssimo, além da plasticidade do lance. Festa e sarcasmo nos arredores do Arruda.

No segundo tempo - com os festejos já estabelecidos – a diretoria abriu os portões do Estádio, para que a pressão da torcida fosse ainda maior. Com isto, o Santa pressionou o tempo todo, mas o gol insistia em não sair, com o goleiro Róbson praticando defesas espetaculares. Novamente, Zé do Carmo dominava as ações, o craque chutou rasteiro, a bola foi certeira na trave e, no rebote, Gil Sergipano quase marcou. Depois do jogo, mais confusão: Torcedores do Santa cercaram o ônibus do Remo, e os atletas tiveram que sair escoltados pela PM.

Santa Cruz: Marco Aurélio, Paulo Ricardo, Missinho, Amarildo e Quinho, Zé do Carmo, Da Silva e Gil Sergipano, Sorato (Éverton), Zé Roberto e Serginho.
Téc: Fito Neves

Remo: Róbson, Silva, Marcelo Fernandes, Belterra e Bezerra, Cléberton, Agnaldo, Zé Renato e Dema, Weizinho (Sérgio Luiz) e Demétrius.
Téc: Cassiá

Árbitro: Sidrack Marinho
Auxiliares: José Teles e Cid Bezerra.

Felipe Holanda

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.