Entrevista exclusiva com o capitão de 1999

Foto: Felipe Holanda.
Em meio a toda ansiedade que envolve o jogo diante do Betim, o Santa Cruz vem recebendo vibrações positivas de todos os lados, seja da torcida sempre apaixonada, seja de ex jogadores que ainda não esqueceram as cores preta, branca e vermelha.  Ontem, o tetracampeão Ricardo Rocha esteve presente no lançamento do centenário e declarou todo seu amor pelo Santa, engrossando o coro da torcida coral. Neste sábado (2), foi a vez de Tinho, também ex zagueiro, dar sua palavra. Aproveitamos para fazer uma matéria com o capitão de 99, exclusiva para o SantinhaNews.

A priori, Tinho contou a trajetória heroica do acesso à Série A em 1999, frisando os momentos difíceis - que foram poucos - e as glórias daquele ano inesquecível para a torcida do Santa. "Eu acho que o pior momento aqui no Santa Cruz, foi o início, quando nós tínhamos um time ainda em formação, onde o time não tava dando certo, onde as vitórias não apareciam, eu acho que esse foi o pior momento aqui no Santa Cruz", comentou o ex zagueiro tricolor. Na época, o time ainda estava em formação e não havia muitas esperanças que aquela equipe chegasse onde chegou.

Dentre as vitórias, Tinho destacou o triunfo diante do Sampaio Correa, quando os corais venceram os maranhenses por 2 a 1, jogando fora de casa. O mata-mata contra o São Caetano, onde o Santa venceu duas de três partidas e avançou ao quadrangular final. Além do jogo diante do Goiás na fase decisiva, quando os tricolores perdiam por 1 a 0 e Tinho anotou dois gols de pênalti para virar o jogo no Arruda com mais de 70 mil pessoas. "Aquele jogo foi um marco, foi início de uma arrancada, você sair de um quadrangular que tem apenas seis jogos e você vencer o primeiro jogo, te dá uma tranquilizada", destacou.

Ao ser questionado sobre o atual miolo de zaga do Santa, o ex zagueiro - com prioridade - rasgou elogios à Everton Senna e Renan Fonseca, titulares absolutos. Para Tinho, a chegada de Vica foi fundamental para o crescimento desses atletas, visto que o técnico atuava como zagueiro. Entre outras, Vica vestiu as camisas de Fluminense, Coritiba e Ferrovário de Araraquara, cidade natal do treinador. "O Vica conhece da posição, ele foi zagueiro, então isso ajuda muito", frisou Tinho, que ainda falou sobre o misterioso contra o Goiás, quando as equipes empataram em 0 a 0 e conseguiram o acesso.

Por último, Tinho deu sua opinião sobre o jogo de amanhã, que decide a vida do Santa Cruz na temporada. " Em hipótese alguma pode existir na cabeça dos jogadores o pensamento de que já está definido, tem que haver um respeito, tem que haver uma seriedade, com a equipe do Betim, futebol se ganha dentro de campo, futebol é apaixonante por isso, porque não dá pra você prever nada", finalizou. O ídolo da torcida tricolor, amanhã, será mais um dos mais 60 mil torcedores do Santa no Arruda, e ele acredita que o tão sonhando acesso há de chegar.

Texto e Reportagem - Felipe Holanda.

Agradecimento especial: O Santinha News também agradece ao torcedor e grande responsável pela vinda do grande zagueiro Tinho, o Allan Robert.

Felipe Holanda

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.