Gabriel - ídolo de 1983 - fala sobre aquele time antológico

Amanhã (18), se completa 30 anos da conquista do Tri-Super Campeonato. Por isto, a diretoria do Santa reuniu nesta terça (17), grandes nomes daquela equipe que ficará para sempre na história do Santa Cruz.
Ex-jogador Gabriel no almoço comemorativo nesta terça. Foto: Jamil Gomes

Às vésperas de completar três décadas, o título do Tri-Super do Santa Cruz ainda tem muitas páginas para serem relidas. Afinal, a lembrança daquele time, dá ainda mais euforia à torcida do Mais Querido que, depois do título da Série C, está em lua do mel com a atual equipe, e que completará cem anos de paixão em 2014.

Por honra ao mérito, o clube reuniu alguns jogadores de 1983 em um almoço juntamente com a imprensa e os diretores do Santa; Além da presença - sempre destacada - do presidente Antônio Luiz Neto, anfitrião da solenidade, que contou com a participação de outros atletas Tri-Supercampeões, como Luiz Neto, Peu, Rivaldo, Ramos e Henágio.

O ponta direita Gabriel, atualmente com 58 anos, deu uma entrevista bastante emocionada sobre a conquista do Tri-Super Campeonato. "Eu sempre fui uma pessoa simples, por isso que eu fui muito querido aqui no Santa Cruz, e essa homenagem para mim é muito importante, estou aqui presente com todo o prazer", destacou.

"Esse time ficou marcado na minha vida. Quando eu cheguei o clube estava em uma fase muito difícil, quando o Santa foi derrotado por 6 a 0 no Campeonato Brasileiro pelo Uberaba, mas, graças a Deus a diretoria contratou um treinador muito inteligente e eu já conhecia muitos atletas do elenco. Por isto eu decidi vir e cheguei aqui e me dei muito bem."

O ex-jogador, teve um grande destaque e foi vice artilheiro do Pernambucano de 1983, atrás apenas de Baiano, do Náutico. "Eu fiquei muito feliz em vir pro Santa e fiz uma promessa a mim mesmo: Em Pernambuco, defender apenas o Santa Cruz. Foi como um desafio. Por isso, eu sempre renovava contrato, fui emprestado duas vezes, e fiquei aqui no clube por 7 anos. "

Hora tratado como vilão pelos inúmeros gols perdidos, hora tratado como herói pelos gols salvadores. Em 1983, jogando com a camisa 07 Coral, Gabriel marcou 13 gols. Depois de defender o Santa com bastante sucesso, o atleta retornou à Paraíba para defender o Treze, onde encerrou sua carreira como jogador profissional.

Felipe Holanda

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.