Santa Cruz massacra Salgueiro pelo Campeonato Pernambucano

Com muita eficácia, a Cobra Coral pintou o sete contra o Carcará e chegou à maior goleada do estadual (Foto: Aldo Carneiro/Pernambucano Press)

Em uma bela tarde de domingo (9) no Estádio José do Rego Maciel, o Santa Cruz se recuperou da derrota na última rodada no Campeonato Pernambucano e goleou, sem dor nem piedade, o Salgueiro por 7 a 0. Os destaques do time tricolor foram Léo Gamalho, autor de três gols, e Caça-Rato, que marcou duas vezes e deu uma assistência.

Com o resultado, a equipe tricolor chegou à segundo vitória e agora soma 8 pontos, mesma pontuação do Carcará, que perde para a Cobra Coral nos critérios de desempate. Santa Cruz e Salgueiro são terceiro e quarto lugar, respectivamente.

Tricolor marca quatro vezes no primeiro tempo

Precisando de recuperar na competição, o Santa Cruz optou por começar a partida agredindo o adversário, resultado: Blitz Coral nos primeiros minutos. E de tanto povoar o campo ofensivo, o time da casa abriu a contagem. Flávio Caça-Rato deu belo passe para Carlos Alberto, que bateu por baixo do goleiro Luciano para abrir o placar.

A superioridade da equipe tricolor não diminuiu, para azar do Salgueiro, que sofreu o segundo gol antes dos dez minutos iniciais. Após vacilo da zaga, a bola sobrou para Caça-Rato. Sem titubear, o ídolo Santa Cruz mandou para as redes, corando a boa atuação de sua equipe na partida.

Enxergando a verticalidade do Santa Cruz, os salgueirenses precisavam de cartas na manga para responder. Porém, as chances eram poucas e a inferioridade perante o adversário, nítida. Fato que fez do time tricolor o dono das ações na etapa inicial. O Carcará seguiu, esbarrando em suas próprias limitações, sem conseguir levar perigo ao pé da letra.

Se engana quem pensa que parou por aí. Os donos da casa não pararam de aumentar sua vantagem. CR7 deixou mais um, desta vez de cabeça, e correu para comemorar com sua torcida. Um gol de quem sabe o que faz com a bola. Avassalador, o Santa Cruz continuou massacrando o oponente. Antes do final do primeiro tempo, o zagueiro Everton Sena ainda marcou o quarto, para delírio da torcida no Arruda e desespero da equipe sertaneja.

Maior goleada do campeonato sacramentada na segunda etapa

Para o segundo tempo, esperava-se uma postura mais digna do Salgueiro, que ficou devendo bastante nos primeiros 45 minutos. Foi o que aconteceu, preenchendo bem as espaços os sertanejos conseguiram equilibrar a peleja. Mas não foi o suficiente para diminuir a vantagem do adversário.

Aos 12, o árbitro Luiz Cláudio marcou pênalti de Ricardo Braz em Léo Gamalho. Na cobrança, o centroavante bateu com muita força e não deu chances ao goleiro, fazendo o quinto gol do Santa Cruz, mas, ainda não era suficiente. Três minutos depois, Léo Gamalho anotou seu segundo tento no jogo, 6 a 0.

A larga vantagem deu ao Santa o luxo de poder experimentar. O treinador Vica promoveu a estreia do meia Raniel, de apenas 17 anos. Sem perder o caráter agressivo, a Cobra Coral partiu em busca do sétimo. Aos 27, o arqueiro do Salgueiro salvou sua equipe e evitou que o vexame ficasse ainda maior, mas não adiantou. Após grande jogada de Raniel,Léo Gamalho marcou mais um, fazendo seu quinto gol na competição.

O jogo foi de fato, uma aula de futebol do Santa Cruz. Um verdadeiro “vareio” de bola para calar a boca daqueles que criticavam a equipe. Dificilmente, a goleada por 7 a 0 será superada até o fim do Campeonato Pernambucano.

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Oziel,Everton Sena, Renan Fonseca e Patrick (Nininho); Sandro Manoel, Luciano Sorriso, Carlos Alberto (Raniel) e Renatinho; Flávio Caça-Rato (Pingo) e Léo Gamalho. Técnico: Vica.

Salgueiro: Luciano; Marcos Tamandaré, Ranieri, Ricardo Braz (Aílton Alemão) e Daniel; Rodolfo Potiguar (França); Moreilândia, Vítor Caicó e Anderson Paraíba; Fabrício Ceará e Kanu. Técnico: Cícero Monteiro.

Local: Arruda. Árbitro: Luiz Cláudio Sobral. Assistentes: Wlademir de Souza Lins e Marlon Gomes de Oliveira. Gols: Carlos Alberto (7 do 1º), Flávio Caça-Rato (10 e 33 do 1º) e Everton Sena (41 do 1º). Léo Gamalho (12, 15 e 33 do 2º). Cartões amarelos: Moreilândia, Marcos Tamandaré, Ricardo Braz e Rodolfo Potiguar (S), Patrick e Raniel (SC). Público: 11.921. Renda R$ 106.524

Felipe Holanda

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.