Santa tem dois jogadores expulsos e perde para o Sport pela terceira vez no ano



Em mais uma atuação apática e aquém do que se espera para o ano do centenário, o Santa Cruz perdeu para seu arquirrival pela terceira na - ainda prematura - temporada. Foi a primeira derrota em clássicos no Arruda e a segunda pela Copa do Nordeste. O fato feriu bastante a torcida que, mesmo ainda no primeiro tempo, já havia jogado a toalha.

Se existem coisas boas a se tirar de uma derrota, o Santa precisa aprender com mais um revés diante do Sport. Agora é a hora da Cobra Coral e seus diretores repensarem na temporada, afinal, os resultados estão muito abaixo da expectativa, que era brigar por todos os campeonatos em disputa no ano.

Sandro Meira Ricci errou, mas isso não quer dizer que adianta jogar os cacos da derrota no árbitro, o equivoco mais grave foi mesmo da equipe tricolor. Que entrou para a partida nervosa, sem conseguir controlar as emoções. O erro de Meira Ricci foi praticamente estragar as expectativas para o jogo.

O clássico

No começo do jogo, o Santa esboçou uma pressão para cima do Sport, mas não durou muito tempo. Sem conseguir tirar o olho da bola, o zagueiro Everton Sena foi expulso aos 19 da primeira etapa. Expulsão justa, em se tratando dos critérios de arbitragem utilizados aqui no país.

Para não perder tempo, o treinador Vica tirou o meia Raul e colocou o zagueiro Leandro Souza para guarnecer a defensiva do Mais Querido. Mas não adiantou , e o Santa continuou sofrendo perigo.

Até que aos 25 minutos, o árbitro Meira Ricci manchou toda a sua atuação ao marcar uma penalidade inexistente no atacante Felpe Azevedo, do Sport. Na cobrança, Neto Baiano bateu para fora e fez jus ao resultado de empate parcial. Mas a torcida do Santa Cruz já não tinha mais paciência para os erros do juiz.

Tudo piorou quando Leandro Souza, que havia saído do banco de reservas, levou o segundo cartão vermelho do jogo. Colocando por terra o restante das aspirações do clube Coral. Como se não pudesse ser pior, o Sport abriu o placar aos 44 minutos, com o volante Rithelly de cabeça.

O gol sofrido fez a torcida do Santa deixou as dependências do Arruda ainda no intervalo, demonstrando total insatisfação com o resultado, praticamente irreversível àquela altura do jogo.

No segundo tempo, os jogadores Corais se arrastaram no gramado, demonstrando muito esforço físico. Realmente era quase desumano cobrar uma melhor atuação do Santa com dois menos a mais, e precisando vencer por 3 gols de diferença. Mesmo assim, aos 2 minutos Léo Gamalho aproveitou o vacilo da zaga adversária para fazer seu primeiro gol sob o Sport.

O empate renovou as esperanças, mas ainda era muito difícil.O balde de água (muito) fria veio aos 11 da segunda etapa, com o goleiro Tiago Cardoso sendo atrapalhado pelo desvio da zaga Coral e Patrick ampliando a vantagem dos rubro negros. E doeu. Foi a prova que tudo, apesar de tão cedo, já estava definido.

Antes do final do jogo, Felipe Azevedo ainda foi expulso de campo, aos 40 minutos da etapa final. Agora, o Santa terá mais um clássico pela frente: Diante do Náutico, na Arena Pernambuco, no próximo domingo (23).

Estádio: Arruda
Árbitro: Sandro Meira Ricci (PE)
Assistentes: Albert Júnior e Ricardo Chianca (ambos de PE)
Público: 15.501
Renda: 281.540,00
Cartões amarelos: Leandro Souza [2] (SC); Danilo e Rodrigo Mancha (S)
Cartão vermelho: Everton Sena e Leandro Souza (SC); Felipe Azevedo (S)

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Oziel, Renan Fonseca, Everton Sena e Nininho; Sandro Manoel, Luciano Sorriso, Carlos Alberto (Pingo) e Raul (Leandro Souza); Flávio Caça-Rato (Memo) e Léo Gamalho. Técnico: Vica.

Sport: Magrão; Patric (Bileu), Ferron, Durval (Oswaldo) e Renê; Rodrigo Mancha, Rithely, Aílton, Felipe Azevedo e Danilo; Neto Baiano (Joelinton). Técnico: Eduardo Baptista.

Felipe Holanda

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.